Skip to Content

Como posso oferecer apoio a alguém que sofre agressão sexual?

A agressão sexual é comum. Aproximadamente um quinto das mulheres sofrem agressão sexual. Há algumas coisas práticas que você pode fazer para ajudar.

Como apoiar uma amiga que sofreu violação sexual

1800RESPECT
24 AUG 2014

Quando alguém sofre violência sexual, as pessoas com as quais ela decide falar sobre isso desempenham um papel vital. Um membro da família, amigo ou colega de trabalho que ofereça apoio pode ser uma ajuda importante. Pode ser difícil saber como reagir e você pode estar preocupado em saber se está fazendo a coisa errada. Há algumas coisas simples que você pode fazer e as informações a seguir o ajudarão. Há também ajuda profissional disponível.

Para saber mais sobre agressão sexual, leia O que é agressão sexual?

Obter ajuda

Os serviços de apoio às vítimas de agressão sexual são um ponto de partida para obter ajuda. Eles oferecem aconselhamento e informações às pessoas que sofreram agressão sexual recentemente e às pessoas que estão oferecendo apoio. Detalhes dos serviços de atendimento às vítimas de agressão sexual podem ser encontrados aqui [em inglês]. A maioria dos serviços tem atendimento com intérpretes e suporte 24 horas.

O serviço telefônico 24 horas 1800RESPECT também pode ser um ótimo ponto de partida. O 1800RESPECT oferece aconselhamento por telefone, recomendações e informações para pessoas que sofreram violência sexual e para a família, amigos ou trabalhadores que as ajudam, pelo telefone 1800 737 732.

O que fazer

Falar sobre a agressão sexual pode ser difícil para a vítima/sobrevivente. Sabemos que muitas vítimas/sobreviventes temem que as pessoas não acreditem nelas, que as culpem ou que sua experiência seja inadmissível ou minimizada.

As seis etapas destacadas abaixo ajudarão a lidar com esses medos e a apoiar alguém que tenha sofrido agressão sexual.

Acreditar

Quando alguém conta que foi vítima de violência sexual o seu papel é acreditar, apoiar e ajudar a explorar opções para o que fazer a seguir. É natural querer fazer muitas perguntas, mas o interrogatório pode fazer com que a pessoa se sinta invadida. Antes de perguntar, ouça.

Ouvir

Algumas pessoas querem falar imediatamente sobre a sua experiência, outras pessoas não. Oferecer-se para ouvir sem interromper, estar lá e não julgar quando a vítima/sobrevivente estiver pronta para conversar é um elemento importante de apoio.

Ajudar a explorar opções

Ao garantir que a vítima/sobrevivente esteja ciente dos seus direitos e opções, você reconhece os direitos dela de ter o máximo de controle possível sobre o que acontece depois. Você pode ajudar a encontrar os serviços e como usá-los. Os impactos da agressão sexual podem tornar difícil para a vítima/sobrevivente pensar nessas coisas imediatamente. A assistência na localização e acesso aos serviços pode ser um bom lugar para começar se a vítima/sobrevivente quiser seguir essa opção.

Nunca culpar

A vítima/sobrevivente nunca é culpada pela agressão sexual. A agressão sexual é inaceitável. O que uma pessoa está vestindo, a sua cultura, a idade, se é usuária de drogas ou álcool, ou a relação com o agressor nunca são responsáveis ​​por alguém abusar sexualmente de outra pessoa.

Pedir permissão para tocá-la

Após uma agressão sexual, algumas pessoas não querem ser tocadas. É importante pedir permissão. Por exemplo: “Tudo bem se eu te der um abraço?” Desta forma, há menos probabilidade de desencadear lembranças ruins ou reviver o trauma associado à agressão.

Reconhecer seus próprios sentimentos e procurar ajuda para si mesmo

É normal sentir-se triste, até mesmo com raiva, quando um ente querido passa por algo violento e traumático. Reconheça seus sentimentos e procure ajuda para si mesmo quando precisar. Você pode ligar para 1800RESPECT, ou falar com serviços de apoio às vítimas de agressão sexual ou com seu médico.

Os impactos da agressão sexual

Compreender os impactos pode nos ajudar a oferecer apoio a alguém que sofreu agressão sexual. Os efeitos da agressão sexual podem ser amplos e incluírem impactos físicos, emocionais e psicológicos. Sabemos que a maioria das agressões sexuais é cometida por uma pessoa conhecida e confiável e, por isso, os efeitos muitas vezes se desdobram no espaço íntimo da família ou de um grupo de amigos. Reagir bem às necessidades imediatas da pessoa que sofreu agressão sexual pode ajudar a reduzir o dano. Continuar apoiando a pessoa conforme ela se recupera também é importante. 

Problemas de saúde

Apoiar alguém que sofreu uma agressão sexual recente também pode significar falar com ela sobre quaisquer lesões físicas e/ou sexuais ou outros problemas de saúde.  As coisas com as quais uma vítima/sobrevivente pode estar preocupada incluem:

  • Gravidez

  • Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)

  • Exposição ao HIV

  • Preocupações com a saúde geral

Um profissional de saúde deve levar em conta que a experiência de abuso sexual tira a sensação da vítima/sobrevivente de controle sobre o seu próprio corpo, e de uma maneira profunda. Qualquer intervenção com ela precisa maximizar o seu senso de controle sobre seu próprio corpo e sua própria tomada de decisão.

Informar à polícia

Se a vítima/sobrevivente deseja registrar a ocorrência da agressão na polícia, há algumas questões importantes para pensar. Isso é útil se alguém que trabalha com uma vítima/sobrevivente está ciente de como funciona o sistema e consegue falar através dos pontos-chave de uma forma respeitosa e compassiva. Isso oferece à vítima/sobrevivente mais controle e opções.

Uma vítima/sobrevivente pode optar por não informar à polícia, ou não fazer um exame médico ou de corpo de delito. É uma escolha pessoal e deve ser respeitada.

Na Austrália, a polícia trabalha independentemente de grupos religiosos ou políticos. Eles são guiados pelos estatutos criminais (leis) que são escritos e acessíveis ao público, entrando na página inicial do parlamento de cada estado. A função da polícia é reunir provas e investigar os assuntos relacionados a toda agressão sexual informada. 

Coisas a considerar ao fazer o relato

O seu serviço local de assistência às vítimas de agressão sexual pode ajudá-lo a compreender a elaboração do relatório e o processo legal no seu estado ou território. A linguagem jurídica e os procedimentos podem ser confusos, mas você sempre pode pedir para tudo o que não ficar claro ser esclarecido em uma linguagem simples. Pergunte se houver algo que você não esteja entendendo. 

Quando há crianças e jovens envolvidos

Quando crianças e jovens sofrem agressão sexual, a primeira pessoa que falar com eles depois disso pode desempenhar um papel muito importante para ajudar com o acesso à proteção e apoio, e na prestação de "primeiros socorros emocionais”.

Deixe claro qual é o seu papel. Crianças e jovens precisam que acreditem neles, precisam ser confortados e ajudados a sentir que, em hipótese alguma, são responsáveis pelo que aconteceu. Ao divulgar, a criança ou o jovem está contando com você para agir em seu nome para acabar com abuso.

Qualquer ato sexual com uma criança é crime e deve ser denunciado à polícia. Ligue 000.

Se você está ajudando uma criança ou jovem que sofreu agressão sexual, há serviços que podem ajudá-lo.

Além dos serviços listados acima na seção Geral, quando crianças e jovens estão envolvidos há algumas coisas importante a lembrar. Os serviços locais de proteção à criança ou às vítimas de agressão sexual são fontes de informações e suporte na compreensão das opções e no planejamento de uma reação.

Qualquer pessoa que estiver preocupada com a segurança e integridade de uma criança deve procurar o serviço de proteção à criança local para denunciar. Todos os estados agora têm leis de notificação obrigatória. Essas leis ditam que certas pessoas são legalmente obrigadas a relatar quaisquer preocupações às autoridades competentes. Se não tiver certeza se deve informar, pare e consulte. Você sempre pode conversar com especialistas na área, como o serviço local de proteção às vítimas de agressão sexual ou a instituição estadual de proteção à criança para procurar assistência. O 1800RESPECT pode fornecer aconselhamento sobre a notificação obrigatória no seu idioma através do telefone 1800 737 732.

Ao oferecer apoio a crianças ou jovens que sofrem agressão sexual, sua função como adulto é ajudá-las a ficarem seguras e realizar ações para acabar com o abuso.