Skip to Content

Apoio às vítimas/sobreviventes

Como posso oferecer apoio a alguém que sofre de violência doméstica e familiar? A violência doméstica e familiar é comum - uma em cada três mulheres sofre de violência doméstica ou familiar em sua vida. Há algumas coisas práticas que você pode fazer para ajudar.

Violência doméstica e familiar: segurança da criança

180RESPECT
20 AUG 2014

O que devo observar?

Existem sinais e comportamentos que são comuns a pessoas que estão em situação de violência doméstica e familiar. 

Pessoas vítimas de violência doméstica ou familiar podem:

  • Parar de sair, sem nenhum motivo aparente ou, quando perguntado, dizem que não podem.

  • Parecer ansiosas, deprimidas, cansadas ou chorar sem nenhum motivo aparente.

  • Parecer tímidas, cautelosas, autocríticas ou autoconsciente sobre seu parceiro, ou seu parceiro parecer rude ou desagradável para elas.

  • Apresentar ferimentos ou passar algum tempo no hospital que levante suas suspeitas.

  • Se justificar o tempo todo sobre sua localização ou despesas.

  • Declarar que estão sendo seguidas, monitoradas, perseguidas ou controladas.

Perguntando

No final, a única maneira de ter certeza de que há um problema é perguntar à pessoa sobre o que está acontecendo.

Obviamente, isso pode ser difícil.

Os membros da família e os amigos podem tentar fazer perguntas diretas e de maneira gentil, tais como:

  • Está tudo bem em casa?

  • E esses hematomas, alguém fez isso com você?

  • Parece que você tem medo do seu parceiro, está tudo bem?

  • Você está bem?

Esteja aberto a ouvir e ofereça ao seu amigo ou pessoa querida uma oportunidade para falar em particular, mas não pressione, não confronte. A pressão e risco de confronto isolam o seu amigo ou ente querido ainda mais.

O que fazer

Falar sobre abuso exige coragem. Muitas vítimas/sobreviventes temem que as pessoas não acreditem nelas. É muito importante levar a sério o medo de uma pessoa que está sendo abusada, mesmo se você achar o parceiro ou ex-parceiro charmoso, gentil ou agradável. Pessoas que cometem violência doméstica e familiar podem ser muito boas em se apresentarem de uma forma positiva em público. Isso pode fazer parte do padrão do comportamento abusivo.

Veja a seguir algumas maneiras como você pode ajudar membros da família ou amigos:

  • Leve o medo deles a sério.

  • A violência é inaceitável. Não culpe a pessoa ou minimize a responsabilidade do abusador pelo abuso.

  • Existem muitas barreiras, escolhas difíceis e, muitas vezes, temores bem fundamentados e preocupações envolvidos no abandono do parceiro violento - incluindo o aumento na violência, falta de moradia e pobreza. A vítima/sobrevivente pode não estar pronta ou pode não ser seguro ir embora.

  • Lembre-se de que a violência doméstica e familiar envolve mais do que os atos físicos do abuso. Os perpetradores almejam a autoconfiança através de abuso emocional e palavras depreciativas e tentam 'triturar' as pessoas que eles abusam. Reconheça os pontos fortes e a resiliência que mantiveram elas e seus filhos seguros.

  • Ajudar na resolução através de opções para ficar seguro, seja abandonando ou permanecendo com o abusador. Consulte a página do planejamento de segurança.

  • Ajudar de forma prática - com transportes, consultas, guarda de crianças ou lugar para fugir. Encontrar serviços de combate à violência doméstica e familiar e se oferecer para ajudar a marcar um encontro.

  • Testemunhar a violência causa impacto em toda a família. Se houver crianças envolvidas, dê a elas a sensação de que estão sendo cuidadas e apoiadas e procure ajuda apropriada para elas através de serviços às crianças ou família na sua área [links].

  • Fale sobre os pedidos de proteção em seu estado/território.

Lembre-se de que a violência doméstica e familiar pode ser perigosa. Ligue para 000 se um membro da sua família, amigo ou filhos estiverem sendo feridos, ou estiverem com medo de serem atacados.

Se você quiser saber mais sobre como ajudar:

  

Em caso de perigo imediato, ligue 000 para chamar a polícia.

Para fazer chamadas de emergência usando o TTY ou o National Relay Service, acesse Calls to emergency services