Skip to Content

Sobre violência doméstica e familiar

O que é violência doméstica e familiar? Compreender a violência doméstica e familiar ajuda na hora da reação.

Violência doméstica e familiar: como fazer um plano para cuidar de si mesma

1800RESPECT
18 AUG 2014

Violência doméstica e familiar

A violência doméstica e familiar é um padrão de comportamento abusivo em um relacionamento íntimo ou outro tipo de relacionamento familiar onde uma pessoa assume uma posição de poder sobre a outra e causa medo. Ela é conhecida também como violência doméstica, violência familiar ou violência por parceiro íntimo.

Esse tipo de violência pode ocorrer em diversos relacionamentos diferentes, por exemplo: entre marido e mulher ou namorada e namorado; entre adultos e crianças ou entre adultos e pais mais velhos; ou entre outros membros da família como tias, tios e avós; ou pessoas que moram juntas em um relacionamento não sexual.

Ela é muitas vezes referida como um padrão de coerção e controle. Às vezes os agressores são chamados de “perpetradores da violência”.

A violência doméstica e familiar nem sempre para quando o relacionamento termina, ela também pode ocorrer entre ex-parceiros.

Os agressores utilizam muitas táticas para manter o poder e o controle, como:

  • Agressões físicas, por exemplo, asfixia, espancamento, empurrando e ameaçando prejudicar.

  • Atos de violência sexual, sexo forçado ou forçar alguém a manter relações sexuais que essa pessoa não quer praticar.

  • Abuso emocional, xingamentos e humilhações, tratamento desrespeitoso.

  • Isolamento de suportes, família e da comunidade, ou usando a família e a comunidade para intimidar. Isso pode incluir o envio de textos ou publicações no Facebook.

  • Perseguir ou monitorar “cada movimento”, incluindo perseguição na internet, através de mídias sociais, o uso de dispositivos de rastreamento GPS, etc.

  • Abuso psicológico, como culpar a pessoa que está sendo agredida pelo comportamento; dizer à pessoa que está sofrendo o abuso que ela tem problemas de saúde mental ou transtornos de ansiedade; deliberadamente manipular ou torcer a realidade; mudar os pertences pessoais ou móveis e depois negar que isso tenha sido feito; e negar que o comportamento abusivo ocorreu.

  • Abuso financeiro, tal como negar as despesas de subsistência ou "dinheiro para despesas domésticas"; impedir que alguém trabalhe; manipular o sistema de apoio à criança; intimidar alguém para assinar documentos legais e financeiros que o coloca em dívida; coagir alguém para exigir dinheiro.

  • Impedir alguém de praticar sua espiritualidade ou fé, ou forçá-lo a adotar uma fé ou espiritualidade que não é a sua própria.

  • Prejudicar ou ameaçar prejudicar os seus entes queridos, incluindo crianças.

  • Prejudicar ou ameaçar prejudicar os seus animais de estimação.

  • Abuso jurídico, como explorar o sistema de direito de família para intimidar, exaurir, explorar ou enfraquecer alguém.

Os abusadores podem exercer o controle de uma forma que seja única para cada relacionamento. Em alguns relacionamentos, interromper o fornecimento de medicamentos é um padrão de controle. Comportamentos de manipulação, como ameaçar suicídio ou automutilação quando alguém tenta sair de um relacionamento, também faz parte de um padrão de controle. Numa situação em que uma mulher com deficiência é dependente de assistência ou de cuidados, a retirada desse cuidado ou a manipulação desses cuidados de uma forma que estabeleça um padrão ou controle é um uso inaceitável de poder. A neutralização da maternidade impedindo o estabelecimento ou a amamentação é uma forma de violência doméstica ou familiar.

As mulheres são mais propensas a sofrer violência doméstica e familiar

As estatísticas mostram que a violência doméstica e familiar é mais provável que seja cometida por homens contra as mulheres.

Alguns grupos de mulheres estão em maior risco de sofrer violência doméstica e familiar:

  • Mulheres grávidas.

  • Mulheres separadas.

  • Mulheres portadoras de necessidades especiais.

  • Mulheres aborígenes e as mulheres naturais da ilha do estreito de Torres.

Alguns fatos sobre violência doméstica e familiar

  • As mulheres são mais propensas a sofrer violência cometida por parceiros e ex-parceiros.

  • Abusadores podem ser charmosos e respeitados em sua comunidade, ou retratar eles mesmos como vítimas. As pessoas que convivem com a violência doméstica e familiar costumam dizer que estão morando com “Dr Jekyll e Mr Hyde”, ou um “anjo na rua/demônio em casa”.

  • Muitas vezes os abusadores negam seus abusos e culpam a pessoa. Eles acham justificados e que têm o direito de se comportarem de maneira abusiva.

  • As crianças que convivem com a violência doméstica ou familiar são afetadas por isso, mesmo quando não podem ver ou ouvir a violência. Isso é por causa do medo e prejuízo à vida doméstica vivida por seus cuidadores. Para as crianças, a violência doméstica e familiar é um trauma.

  • Homossexuais, lésbicas, transgêneros e intersexuais também podem estar em relacionamentos violentos ou abusivos.

Outros tipos de violência em casa

Qualquer tipo de violência é inaceitável. Assim como a violência doméstica e familiar, outros tipos de violência ocorrem em famílias e relacionamentos. Eles não estão necessariamente ligados aos padrões de comportamento de poder e controle, mas prejudicam os indivíduos, a família e a harmonia da comunidade.

A violência pode ocorrer em qualquer tipo de relacionamento. Isso inclui a violência de mulheres contra homens, violência direcionada às pessoas mais velhas ou portadoras de necessidades especiais e a violência dos adolescentes contra seus pais.

Pessoas que sofrem outros tipos de violência ou abuso no lar podem ser feridas, prejudicadas ou envergonhadas de maneiras semelhantes às pessoas em situação de violência doméstica e familiar.

O abuso de crianças também é uma forma de violência em casa e é inaceitável. Se você é um jovem vítima de abuso, entre em contato com a Kids Helpline no telefone 1800 55 1800, ou ligue para a polícia no número 000. Se você estiver em perigo imediato, ligue para a polícia no número 000.

Se você sofrer de qualquer um destes outros tipos de violência em um relacionamento ou dentro de sua família, as informações contidas neste site serão valiosas, e muitos dos serviços listados aqui serão úteis. A linha 1800RESPECT pode oferecer suporte e informações às pessoas que convivem com todos os tipos de relacionamento abusivo ou violência em casa. Ligue 1800 737 732.

 

Em caso de perigo imediato, ligue 000 para chamar a polícia. 

Para fazer chamadas de emergência usando o TTY ou o National Relay Service, acesse Calls to emergency services